domingo, 31 de janeiro de 2010

Reativação da Telebrás está na boca do povo



Companheiros e companheiras,

Para quem defende a reativação da nossa Telebrás, vale a pena conferir o que o povo está dizendo. No dia 28 de janeiro, o sítio especializado Opinião e Notícia (http://opiniaoenoticia.com.br/brasil/nacional/governo-estuda-ressuscitar-telebras/) fez uma enquete perguntado "Você acha que a recriação da Telebrás será útil para a difusão da banda larga no Brasil?", com duas opções:
1) Sim, a estatal facilitará a distribuição das redes.
2) Não, a banda larga pode ser expandida pelas operadoras de telefonia já existentes, sem a necessidade de uma estatal para isso.
No dia 30 de janeiro, às 19 horas, já havia 330 votos e, agora, a boa notícia: 94% (309 votos) tinham votado "Sim, a estatal facilitará a distribuição das redes."
É a voz do povo exigindo que o Brasil democratize a informação e faça a inclusão digital de TODOS os seus cidadãos. Um forte abraço e Dilma 2010!
Roberto Carvalho.
VELHA ESTATAL

Governo estuda ressuscitar Telebrás


Você acha que a recriação da Telebrás será útil para a difusão da banda larga no Brasil?

  • Sim, a estatal facilitará a distribuição das redes. (95%, 370 Votos)
  • Não, a banda larga pode ser expandida pelas operadoras de telefonia já existentes, sem a necessidade de uma estatal para isso. (5%, 21 Votos)

Total de votantes: 391

Presidente da Associação Brasileira das Concessionárias de Telefonia Fixa (Abrafix), José Fernandes Pauletti, diz que a ideia é “uma loucura”.

A proposta de reativar a Telebrás enquanto estatal para atuar no setor de telecomunicações teria surgido no Ministério do Planejamento e parece contar com o apoio da Casa Civil da Presidência da República. Ela está na minuta do decreto que cria o Plano Nacional de Banda Larga. Uma reunião com Lula para tratar do assunto já está marcada para o dia 10 de fevereiro.

O projeto estabelece que a Telebrás poderá atuar como atacadista, alugando as redes para outras empresas e, também, como varejista entregando o serviço direto para o cliente, mas somente em lugares onde as operadoras não atuem ou o preço do serviço for 50% maior que nas capitais dos estados.

“Acho uma loucura, um desperdício de dinheiro público, não acredito que vá acontecer”, disse Pauletti. Para o presidente da Telefônica, Antonio Carlos Valente, “dá para desenvolver de forma acelerada a banda larga no Brasil, desde que com condições necessárias”.

Um comentário:

KINHA disse...

Olá

Fiquei muito feliz com sua visita e comentário, que aliás me deixou envaidecida, obrigada. O estímulo é sempre importante nessa nossa vida de blogueiros, pois fazemos um trabalho por puro prazer e dedicação, e muitas vêzes recebemos comentários indelicados.
Seu blog é muito legal e quero lhe dizer que amo a sua terra. Já estive 3x em Natal e arredores, e pretendo voltar para conhecer mais.Já me tornei sua seguidora.

Bjo