quinta-feira, 28 de abril de 2011

Último fabricante de máquinas de escrever fecha as portas na Índia


Empresa indiana Godrej and Boyce encerrou as atividades em Mumbai.

Equipamento virou fetiche de jovens atraídos pela nostalgia e romantismo.

Alguns jovens nostálgicos colecionam máquinas de escrever antigas



A Godrej and Boyce, companhia que ainda produzia máquinas de escrever, interrompeu a produção da fábrica em Mumbai, na Índia, segundo informações do site Mashable nesta terça-feira (26).

O Mashable creditou a empresa como a última a fabricar máquinas de escrever no mundo --mas, posteriormente, o site Gawker afirmou que ainda existem manufatureiras que as produzem na China, no Japão e na Indonésia.

"Não estamos tendo muitos pedidos agora", disse o diretor geral da companhia, Milind Dukle, ao jornal indiano "Business Standard".

O protótipo da máquina de escrever surgiu em 1714. No entanto, a produção em escala industrial veio apenas em 1868, quando Christopher Latham Sholes, um gráfico de Milwaukee, Wisconsin, patenteou o dispositivo.

Seu pico de produção foi em 1950, quando Smith-Corona vendeu 12 milhões de unidades no último trimestre de 1953. Mas, graças à invasão do computador pessoal, apenas cerca de 400 mil máquinas de escrever foram vendidas por ano até 2009.

Embora a maior parte do mundo tenha abandonado o uso de máquinas de escrever, a Índia

mostrou-se a um dos últimos bastiões de utilização da tecnologia até recentemente. Outro nicho de mercado para máquinas de escrever é mais fantástico: apesar da sua falta de funcionalidade, elas estão sendo fetichizadas, curiosamente, por jovens descolados que são atraídos pela nostalgia e imagem romântica ligado à tecnologia, agora ultrapassada.

FONTE: G1.com.br

http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2011/04/ultimo-fabricante-de-maquinas-de-escrever-fecha-portas-na-india.html

Um comentário:

Renata LuS disse...

Ótimo fim de semana..